Do espaço fixo ao espaço em fluxo. Fluxo e pensamento: a presença do bergsonismo

O objetivo do presente artigo é demonstrar, tomando como subsídio a produção artística desenvolvida nos espaços urbanos, o deslocamento de uma visão de espaço fixo, homogêneo, dado a priori, para uma visão de espaço móvel, que se dá a partir do fluxo de comunicação e conexão constantes; um espaço que se constrói a partir de uma cartografia líquida, engendrada fenomenologicamente e relacionalmente. A fenomenologia bergsoniana se torna uma importante fonte para o diálogo e a construção de uma fundamentação da epistemologia e percepção dos fenômenos temporais.

Autores:
Dra. Priscila Arantes e Dr. Eduardo Cardoso Braga

Download artigo (pdf)

4 Comments

Post a Comment

Your email is never shared. Required fields are marked *