Author Archives: Eduardo Cardoso Braga

Possui graduação em Educação Artística, graduação em Filosofia, mestrado em Filosofia pela Universidade de São Paulo. Doutorado em Comunicação e Semiótica pela PUC/SP. Professor de filosofia e comunicação do Centro Universitário SENAC.
Naturalidade: Vila Madalena, São Paulo, Brazil

A análise do discurso na teoria pós-colonial: Crítica da representação e busca de um discurso híbrido. Parte III

“[…] os centros de poder se definem por aquilo que lhes escapa, pela sua impotência, muito mais do que por sua zona de potência […]” (DELEUZE; GUATTARI, (1996, p. 96).

A análise do discurso na teoria pós-colonial: Crítica da representação e busca de um discurso híbrido. Parte II

“[…] os centros de poder se definem por aquilo que lhes escapa, pela sua impotência, muito mais do que por sua zona de potência […]” (DELEUZE; GUATTARI, (1996, p. 96).

A análise do discurso na teoria pós-colonial: Crítica da representação e busca de um discurso híbrido. Parte I

“[…] os centros de poder se definem por aquilo que lhes escapa, pela sua impotência, muito mais do que por sua zona de potência […]” (DELEUZE; GUATTARI, (1996, p. 96).

A estética do sublime em Kant: alguns apontamentos

Kant escreveu três Críticas, é na chamada “Terceira Crítica” ou “Crítica da faculdade do juízo” (2008) que encontramos o que poderia ser nomeado como uma Estética. Essa obra, ao contrário das duas outras Críticas, não tem um foco claro. Kant se propõe examinar nossa faculdade do julgamento e, ao assim fazer, seu pensamento parece caminhar […]